Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




calendário

Novembro 2007

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930


Pesquisar

 


Acho que estou a ficar velho...!

Segunda-feira, 12.11.07

De acordo com os reguladores e burocratas de hoje, todos nós que nascemos nos anos 60, 70 e princípios de 80, não devíamos ter sobrevivido até hoje, porque as nossas caminhas de bebé eram pintadas com cores bonitas, em tinta à base de chumbo que nós muitas vezes lambíamos e mordíamos.

Não tínhamos frascos de medicamentos com tampas "à prova de crianças", ou fechos nos armários e podíamos brincar com as panelas.

Quando andávamos de bicicleta, não usávamos capacetes e quando viajávamos em carros sem cintos e airbags, viajar à frente era um bónus. Bebíamos água da mangueira do jardim e não da garrafa e sabia bem.
Comíamos batatas fritas, pão com manteiga e bebíamos gasosa com açúcar, mas nunca engordávamos porque estávamos sempre a brincar lá fora.

Partilhávamos garrafas e copos com os amigos e nunca morremos disso.
Passávamos horas a fazer carrinhos de rolamentos e depois andávamos a grande velocidade pela rua abaixo, para só depois nos lembrarmos que esquecemos de montar uns travões.
Depois de acabarmos nas silvas ou de encontro a uma parede aprendíamos.
Saíamos de casa de manhã e brincávamos o dia todo, desde que estivéssemos em casa antes de escurecer.

Estávamos incontactáveis e ninguém se importava com isso. Não tínhamos PlayStation, X Box.
Nada de 40 canais de televisão, filmes de vídeo, home cinema, telemóveis, computadores, DVD, Messenger, Internet. Tínhamos amigos, se os quiséssemos encontrar íamos à rua. Jogávamos ao elástico, à ramilha, ao pião, à barra e a bola até doía!  Caíamos das árvores, cortávamo-nos, e até partíamos ossos mas sempre sem processos em tribunal. 

Haviam lutas com punhos mas sem sermos processados.  Batíamos às portas de vizinhos e fugíamos e tínhamos mesmo medo de sermos apanhados. Íamos a pé para casa dos amigos. Acreditem ou não, íamos a pé para a escola; não esperávamos que a mamã ou o papá nos levassem.
Criávamos jogos com paus e bolas, e íamos às cascas dos eucaliptos para fazermos vira-ventos.
Se infringíssemos a lei era impensável os nossos pais nos safarem. Eles estavam do lado da lei. Esta geração produziu os melhores inventores e desenrascados de sempre.


Os últimos 50 anos têm sido uma explosão de inovação e ideias novas. Tínhamos liberdade, fracasso, sucesso e responsabilidade e aprendemos a lidar com tudo. Parabéns àqueles que tiveram a sorte de crescer como verdadeiras crianças, antes dos advogados e governos regularem as nossas vidas.


Para todos os outros que não têm idade suficiente pensei que gostassem de ler acerca de nós.
A maioria dos estudantes que estão hoje nas universidades nasceu em 1986.
Chamam-se jovens. Nunca ouviram "we are the world" e “Uptown girl” conhecem os westlife e não o Billy Joel. Nunca ouviram falar de Rick Astley, Banarama ou Belinda Carlisle.

Para eles sempre houve uma Alemanha e um Vietname. A SIDA sempre existiu. Os CD's sempre existiram.
Para eles o John Travolta sempre foi redondo e não conseguem imaginar que aquele gordo fosse um dia um deus da dança.

Acreditam que Missão impossível e Anjos de Charlie são filmes com dois anos. Não conseguem imaginar a vida sem computadores. Não acreditam que houve televisão a preto e branco.

Tás a ficar velho se:

1. Entenderes o que está escrito acima e sorrires.
2. Precisares de dormir mais depois de uma noitada.
3. Te surpreenderes ao ver crianças tão à vontade com computadores.
4. Abanares a cabeça ao ver essas mesmas crianças com telemóveis.
5. Te lembrares da Gabriela (a primeira vez).

SIM ESTÁS A FICAR VELHO hehehehe…, mas tivemos uma infância do caraças ora diz lá!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Bangawoyo às 15:38

5 comentários

De musa a 12.11.2007 às 19:24

Texto magnífico, para aqueles que viveram nesta época.
Foi sem dúvida uma infância do caraças, espectacular, quantas saudades eu não tenho desse tempo!
Quem dera que a mudança tivesse sido mais lenta no que diz respeito ao que é na verdade brincar.

De Anónimo a 12.11.2007 às 20:23

É verdade um "tempo do caraças", se hoje deixa-se-mos os nossos filhos um dia na rua, que seria deles? Imaginem só os pais irem para o trabalho e deixar o/a menina aí com os seus 10/11 anos em casa e esta tomar a iniciativa de ir para a escola a pé fazer aí uns 2 ou 3 quilómetros e voltar, será que hoje alguém arriscaria? Nos anos 60/70 era assim!

De balzaquiana a 13.11.2007 às 12:28

É verdade, os tempos mudaram muito, infelizmente hoje em dia não podemos deixar as crianças pela rua à sua vontade.
Hoje os perigos são muitos e os riscos não se podem correr.
Mas é uma verdade que essa geração se divertiu à brava.
Hoje divertimo-nos enfiados no pc, falamos à distância e não construimos nada, nem carrinhos de rolamentos, os carros já vêm telecomandados e nós nem nos podemos sentar neles...paciência, são outros tempos.

De criancices a 17.11.2007 às 08:17

Mais um excelente artigo que subscrevo.

De Tom a 17.11.2007 às 10:41

Também subscrevo...
Sem dúvida um excelente tempo esse da nossa infância.

Comentar post



Comentários recentes

  • Anónimo

    Este paraquedista so falou da zona de lazer de Aze...

  • Anónimo

    APOIADO NO QUE AFIRMASMUITO OBRIGADO

  • Anónimo

    Acham que esse candidato deveria ter ganho? Para u...

  • Anónimo

    TU DEVES SER MAIS QUE PARVO, OU TENS UM RABO MUITO...

  • Anónimo

    comentário do dia das eleições, só falta o padre d...

  • Gertrudes Pinheiro

    Olá Kaskaedeskaska a Banana!Alguém me sabe dizer q...

  • Anónimo

    Os ratos fugiram. Vão ter que mentir e depois resp...

  • Anónimo

    vai haver festa

  • Anónimo

    Fiquei CHOCADA com a falta de informação deste com...

  • Anónimo

    Tudo seria fácil se o senhor Delfim Silva tivesse ...