Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




calendário

Abril 2007

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930


Pesquisar

 


Mais um...

Quinta-feira, 19.04.07

Um e-mail enviado por uma amiga que me pede para divulgar aqui uma situação de maus-tratos infringidos a uma mulher pelo marido. Espanto meu, quando constato que as pessoas em causa até são conhecidas minhas e com quem me cruzo quase diariamente em Sta. Maria da Feira. No passado domingo, dia 15 a “Joana” (nome fictício) teve de recorrer ao Hospital S. Sebastião após mais uma cena de pancada protagonizada pelo “herói da covardia”. Desta vez tive acesso pessoalmente ao relatório hospitalar.

Excerto do e-mail que por razões obvias e detalhes impedem a sua divulgação na integra:

(…) a Joana como tantas mulheres por esse pais fora é vítima de maus tratos por parte do marido.

Tudo começou quando entre amigos combinamos um jantar para sábado às 20horas na Feira onde eu e outros amigos dela trabalhamos.

(…) A Joana chegou por volta das 20h15m assustada, em pânico, e um pouco atordoada com toda a situação que se havia passado em casa e com visíveis sinais de ter sido esbofeteada. Logo a questionamos sobre a situação quando ela respondeu que havia sido o marido.

O filho de 10 anos foi quem lhe valeu que na sua própria inocência  se colocou no meio para evitar o pior.

Juntas fomos (…) jantar, foi quando começaram as mensagens e telefonemas a insultar e ameaçar a Joana.

(…) Cansada daquilo tudo numa das vezes atendi o telefone, não falei, fiquei apenas a escutar tudo o que ele dizia.

Posso dizer que nunca ouvi nada do género em 23 anos de vida, ele ameaçou-a até de morte (…) Saímos de lá assustadas, aterrorizadas com medo do que ele poderia fazer quando ela fosse para casa.

(…) Domingo por volta das 10h30m ela chegou acompanhada do filho de 10 anos a mancar e muito pálida com hematomas na face.

Contou-me novamente que ele lhe havia batido, ali perto, a face marcada foi por ele bater com a cara dela nas grades.

Como um covarde que é, deixou-a desmaiada no chão, teve de ser ajudada por uma vizinha que apenas a levou até perto da entrada de casa.

(…) Fomos ao hospital S. Sebastião, a conselho da PSP para quem liguei pois não sabia ao certo como lidar com toda aquela situação.

Mal entramos no hospital  Joana foi vista por uma enfermeira que me deixou acompanhá-la em tudo.

Fomos até à médica de serviço a qual adiantou que muito pouco poderia fazer, apenas podia fazer a ficha médica para depois se apresentar a queixa.

A Joana apresentava edemas no braço direito e nos olhos, para além das dores físicas. Quando a PSP chegou ao hospital pouco fez.

Simplesmente a Joana apresentou queixa aos dois agentes que já a conheciam devido a anteriores queixas ( esta seria  a quarta vez ).

O mais irónico nesta história é que ninguém pode fazer nada.

Para se entrar em casa da vítima têm de ter uma providência cautelar, para lhe arranjarem protecção tem de ser o Juiz a dar autorização.

(…) Moral da história a vítima é maltratada e tem de ir para a própria casa onde também vive o agressor, visto não ter apoio Jurídico e financeiro para poder ir para outro lugar onde se sinta protegida.

Os filhos que assistem a tudo isto também não tiveram qualquer tipo de ajuda, como o pai não lhes bate ou os deixa passar fome é considerado um óptimo pai, a justiça esquece que o pai bate na mãe mesmo à frente deles, e onde lhe diz (palavras do  filho mais velho) “ se a tua mãe entrar naquela porta eu mato-a”.

A justiça nada faz nestes casos, e quando age pode ser tarde de mais pois se ele lhe bate agora, um dia mata-a e depois o que vão fazer? Prendê-lo?

Conhecedores de longa data desta situação: Família, vizinhos, PSP…! Dizer mais para quê!

“Entre Novembro de 2005 e o mesmo mês de 2006 ano morreram em Portugal 37 mulheres vítimas de violência doméstica.”

“Em Portugal, na maior parte das vezes, é a mulher que tem de sair de casa com os filhos e as medidas de coação ao agressor não se aplicam” (PD) 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Bangawoyo às 20:38

6 comentários

De Mulher a 20.04.2007 às 10:46

Sei perfeitamente que tudo isto é verdade e acontece diariamente no nosso país, infelizmente estas mulheres não têm apoio de ninguém. O conselho que dou a esta mulher é que ganhe coragem e quando ele voltar a ter intenção de lhe bater ela estar preparada e atirar-lhe com algo bem pesado que lhe o marque bem marcado, afinal é em legitima defesa, ou será que ela é que vai presa...se fosse minha vizinha teria todo o meu apoio, se há coisa que não temo são homenzitos armados em valentões. Ele está a precisar que lhe amassem bem os tomates para não se armar em galo.

De lua a 20.04.2007 às 18:40

cara senhora tem toda a razão, mas não se pode fazer as coisas de cabeça quente pois infelizmente legalmente as coisas não funcionam nessa maneira.
Fui eu quem enviou esta carta e posso lhe dizerque na terceira queixa que a " Joana" apresentou na PSP ela de tão saturada que estava de apanhar defendeu-se, ele de ruindade rasgou-lhe as roupas e quando a situação acalmou a " Joana" chamou a PSP.
A verdade é que a " Joana" está a ser acusada de arguida porque supostamente lhe bateu, a Polícia nao quer saber se foi em legítima defesa e mais nem sequer em casa dela entraram pois para isso tinham de ter a autorização do marido( visto este ser dono da casa)
Enfim um dia que ela apareça morta( que infelizmente acontece a muitas ) a Polícia também não vai poder entrar....
Estes casos são diários em Portugal ainda há pouco tempo deu na TV uma sra de Leiria que já tinha apresentado queixa e a polícia nada fez, pobre da sra que levou dois tiros
Fazer justiça!!!! Quando? quando as vítimas morrem....

De PAPOILA a 20.04.2007 às 13:24

infelizmente à muitas " Joanas" por este país fora
Ainda ontem no voçe na TVI se falou de dois casos de violência doméstica onde tb as vitimas apresentaram entre 8 a 10 queixas cada e a polícia nada fez.
Segundo a advogada que estava a prestar apoio jurídico a polícia e os tribunais pouco fazem nestas situações ( as leis têm de ser modificadas)
Por essa mesma razão eu censuro todos os políticos que em vez de resolverem estas questões que são nacionais preocupam-se em saber se o nosso primeiro ministro é ou não Engenheiro.
Para mim ele até podia ser varredor de ruas ( ele nao está a construir uma ponte para passarem milhoes de pessoas), que nos interessa isso o que interessa é que ele esteja a fazer um bom trabalho que na minha opinião está
Pena nao resolver este tipo de assuntos que infelizmente acontecem diariamente
E para todos que tenham conhecimento do que se passa em casa dos outros, para aqueles que assistem casos destes de perto NAO TENHAM MEDO DE DENUNCIAR COBARDES COMO ESTE hOMEM QUE BATE NA ESPOSA INDEFESA
pois se nos calarmos estamos a ser quase tanto culpados como ele, estamos a ser cobardes por nao falar

De MC a 20.04.2007 às 15:36

Bem.... nem sei por onde começar de tão atordoado que estou com o texto que acabo de ler mas enfim cá vai (e na esperança que alguém perto da Joana leia).

Se não há lei que proteja estas mulheres, a alternativa(e desculpem-me os mais sensíveis) é apanhar o marido da joana um dia sozinho e fazer-lhe sentir parte da dor que tem provocado à sua esposa, mãe do seu filho, este homem é um animal e merece que lhe deixem algumas nódoas negras de modo a que pense duas vezes antes de aggredir a "joana" de novo.

Quem puder ajudar a Joana que o faça, não se arrependem e lembrem-se que um dia podemos também precisar de ajuda.

Saudações desde a Ilha de Santa Maria nos Açores

De Laura a 20.04.2007 às 19:02

Concordo na íntegra, ele merece que o apanhem e lhe dêem uma boa coça, de maneira a que ele fique ali estendido a sentir a dor. Um homem destes merecia que lhe fizessem o mesmo. A falta de respeito pelas mulheres ainda é bem visivel numa sociedade que se diz moderna, mas moderna só se for nos centros comerciais, nos telefones e internets, porque moderna na educação e civismo, eu cá não vejo nada.
Força para a Joana e coragem para os amigos que devem defendê-la.

De papoila a 22.04.2007 às 18:50

Infelizmente por razões menos boas voltei a querer exprimir os meus sentimentos neste blog.
Esta semana falamos de violência doméstica, mas em particular entre casais
Pois a historia que vou contar é uma historia real com personagens de carne e osso e sentimentos
Ainda á pouco em conversa com uma cliente a probre senhora me contou ser vítima de violência por parte do filho
A sra já terá apresentado queixa na esquadra da PSp e como ela disse " levaram-no a tomar café vieram passado uma hora"
A pobre da sra indefesa, viúva com uma pensão de 327€ já com a pensão de viuvez teve de abandonar a sua casa onde vivia há mais de 30 anos para ir pagar aluguer pois nao teve ajuda de parte da justiça.
Tenho de dizer que estou extremamente chocada com tudo isto
Nao tenho filhos, mas não sei que tipo de pessoa bate na mãe ao ponto dela entrar no hospital vítima de um enfarte
E a justiça nessa hora onde está....
Resta rezar para que os filhos do agressor um dia lhe façam pior, são os meus votos mais sinceros, pois como diz a minha mãezinha
Filho és pai serás

Comentar post



Comentários recentes

  • Anónimo

    Este paraquedista so falou da zona de lazer de Aze...

  • Anónimo

    APOIADO NO QUE AFIRMASMUITO OBRIGADO

  • Anónimo

    Acham que esse candidato deveria ter ganho? Para u...

  • Anónimo

    TU DEVES SER MAIS QUE PARVO, OU TENS UM RABO MUITO...

  • Anónimo

    comentário do dia das eleições, só falta o padre d...

  • Gertrudes Pinheiro

    Olá Kaskaedeskaska a Banana!Alguém me sabe dizer q...

  • Anónimo

    Os ratos fugiram. Vão ter que mentir e depois resp...

  • Anónimo

    vai haver festa

  • Anónimo

    Fiquei CHOCADA com a falta de informação deste com...

  • Anónimo

    Tudo seria fácil se o senhor Delfim Silva tivesse ...