Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




calendário

Janeiro 2012

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031


Pesquisar

 


CONVITE - Apresentação do livro de Rosa Familiar

Sexta-feira, 20.01.12
E como se trata de uma escritora Arrifanense, o kaska&deskaska, não podia dizer que não à divulgação do próximo evento de Rosa Familiar.
Fica aqui o convite, a pedido da autora, para você estar presente no próximo Dia 10 de fevereiro de 2012, pelas  21h na sede de Agrupamento Dr. Ferreira de Almeida - Cavaco - Santa Maria da Feira, com a presença da Vereadora da Cultura Drª Cristina Tenreiro, onde irá decorrer a 3ª apresentação do Romance a "Minha Janela".

Será servido um porto de honra oferecido pelo Café Zubel e terá ainda um momento musical a cargo de José Almada - música de intervenção. 
A autora agradece a presença de todos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Administração às 20:11

Deputados do BE questionam a Supressão diárias dos comboios entre Ovar, Porto e Aveiro.

Sexta-feira, 20.01.12

 

A CP emitiu, no dia 19 de Janeiro de 2012, um comunicado onde faz saber a intenção de proceder a ajustamentos no Serviço da Linha de Aveiro, “com o objetivo de adequar a oferta à procura, e, por esta via, ir ao encontro da redução de custos que a atual conjuntura impõe”.

Na realidade, o ajustamento anunciado corresponderá à supressão diária de todos os comboios que circulam no período noturno – após as 20h00 – entre as estações de Ovar / Porto S. Bento / Ovar e aos dias úteis, em igual período, entre as estações de Aveiro / Porto Campanhã / Aveiro.

Segundo a empresa, a decisão prende-se com as reduzidas taxas médias de procura. No entanto, fica claro, a partir do comunicado emitido, que a poupança, de 400 mil euros anuais, foi um fator a ter em conta na decisão tomada.

Consideramos estranhas as percentagens apresentadas pela CP, dado que o próprio Presidente da Camara de Ovar declarou já que “muitas pessoas usam o comboio a partir de Ovar quer em direção ao Porto quer em direção a Aveiro.”

Para o Bloco e Esquerda importa salvaguardar aquilo que são as necessidades de mobilidade dos cidadãos, adequando a oferta às necessidades, respeitando as características do movimento de pendular das populações. Assim, a decisão CP merece as maiores reservas da parte do Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda.

Em primeiro lugar porque a decisão não se baseia em nenhum estudo fundamentando nem tem em conta os serviços que a população precisa. A manutenção dos movimentos pendulares dos habitantes da região implica, necessariamente, a existência de um serviço de transportes funcional e eficiente. No processo de tomada de decisão é necessário considerar que os comboios a circular no período noturno não têm, por norma, uma procura autónoma, servindo como único meio de retorno para os passageiros que efetuaram o mesmo trajeto no sentido oposto.

Em segundo lugar é necessário ter em conta o contexto em que esta decisão é tomada. A supressão dos comboios nesta região deixa estas populações sem uma alternativa viável às SCUT, que deixaram de ser gratuitas.

Em terceiro lugar, porque é improvável que a melhor forma de adequar os serviços ferroviários às necessidades dos seus utilizadores seja através da estratégia de contínua supressão de trajetos, composições e linhas de ferrovia. A solução apresentada, motivada apenas por razões de ordem financeira, não resolve nenhum problema associado à inadequação ou insuficiente desenvolvimento da rede de transportes em Portugal, pelo contrário.

Em quarto lugar, porque o recente anúncio por parte da CP não pode ser considerado de forma isolada, mas sim no conjunto de comunicados semelhantes, por parte de inúmeras empresas públicas de transportes – Carris, Metropolitano de Lisboa e CP são disso exemplos – a operar em diferentes sectores e zonas do país.


O Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda considera prioritário, em nome de uma estratégia de desenvolvimento económico, social e ambiental do país, a suspensão do Plano Estratégico de Transportes e de todas as decisões que dele decorrem em termos de diminuição dos serviços de transportes e aumento os preços a cobrar aos utilizadores. Consideramos ainda urgente uma clarificação de quais os verdadeiros citérios utilizados, quer na decisão da CP acima indicada como em outras semelhantes. Na ausência de um estudo aprofundado das necessidades do país em termos necessidades de mobilidade, os critérios da consolidação orçamental e dos cortes cegos nos serviços públicos parecem impor-se a todos os restantes.É hoje claro que o Plano Estratégico de Transportes, apresentado como uma das soluções para o sector em Portugal, rapidamente se tornou na fonte de inúmeros problemas adicionais. Os utilizadores de transportes públicos em Portugal encontram hoje serviços de menor qualidade e abrangência, a preços mais elevados.  Ao invés de promover a sua utilização, e adaptação às necessidades das populações locais, a estratégia seguida está a contribuir ativamente para a delapidação dos serviços públicos de transportes: a fraca qualidade dos serviços tem como consequência a ausência de passageiros que justifica depois o desinvestimento no sector.

 

Face à gravidade da medida implementada pela CP, os deputados do BE questionaram o Ministério da Economia e da Inovação ler aqui as perguntas

 

Comissão Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda de Aveiro

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Administração às 20:07


Comentários recentes

  • Anónimo

    Este paraquedista so falou da zona de lazer de Aze...

  • Anónimo

    APOIADO NO QUE AFIRMASMUITO OBRIGADO

  • Anónimo

    Acham que esse candidato deveria ter ganho? Para u...

  • Anónimo

    TU DEVES SER MAIS QUE PARVO, OU TENS UM RABO MUITO...

  • Anónimo

    comentário do dia das eleições, só falta o padre d...

  • Gertrudes Pinheiro

    Olá Kaskaedeskaska a Banana!Alguém me sabe dizer q...

  • Anónimo

    Os ratos fugiram. Vão ter que mentir e depois resp...

  • Anónimo

    vai haver festa

  • Anónimo

    Fiquei CHOCADA com a falta de informação deste com...

  • Anónimo

    Tudo seria fácil se o senhor Delfim Silva tivesse ...






subscrever feeds