Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




calendário

Dezembro 2009

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031


Pesquisar

 


BE exige inquérito célere

Sábado, 12.12.09

O Bloco de Esquerda está preocupado com o acidente que ocorreu no evento Terra dos Sonhos, organizado pela empresa municipal Feira Viva no concelho de Santa Maria da Feira.
A queda de uma bancada no evento Terra dos Sonhos, com cerca de 500 lugares, gerou vários feridos. O Bloco de Esquerda está solidário com os feridos deste lamentável acidente e com os seus familiares.
Uma delegação do Bloco de Esquerda, com a presença do deputado Pedro Filipe Soares, deslocou-se ao local do acidente, onde tomou conhecimento dos pormenores da situação e acompanhou a evacuação dos feridos.
A gravidade do acidente exige que sejam esclarecidos os motivos que levaram ao desmoronamento da estrutura. Assim, o Bloco de Esquerda exige que seja levado a cabo um inquérito, realizado por uma entidade independente, que averigúe a situação e apure responsabilidades.
O BE considera essencial para o esclarecimento público que esse inquérito seja célere e claro, para que as responsabilidades sejam cabalmente apuradas.
 
 
Comissão Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda de Aveiro

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Pesadelo na Terra dos Sonhos

Sábado, 12.12.09

 

Hoje entre as 17h 30m e as 18h a Terra dos Sonhos em santa Maria da Feira deixou de ser um sonho para se tornar num pesadelo.
Uma das bancadas existentes na Tenda onde decorria o espectáculo “Sonho da Lua” ruiu levando consigo outras bancadas e o terror começou.
Estavam cerca de 500 crianças com alguns adultos, destes saíram 15 feridos ligeiros entre eles 9 adultos e 6 crianças, sendo uma delas de apenas 5 anos que fracturou uma perna. De imediato o parque foi evacuado, várias corporações de bombeiros acederam ao local socorrendo as vítimas. Apesar do incidente podemos dizer que podia ter sido pior.
Segundo informações a tenda tinha uma lotação de 520 lugares, pelo que estava quase lotada. Já tinham decorrido 14 espectáculos sem qualquer problema.
Esta tenda ficará fechada, apesar do parque reabrir já amanhã, para voltar a ser “A terra dos sonhos”.
Vai ser levado a cabo um inquérito pela PSP e Bombeiros, que irão averiguar as causas do acidente. A empresa responsável, já afirmou que há seguro para cobrir todos os prejuízos.
Falta-nos agora saber se a inspecção da bancada foi feira correctamente, assim como toda a segurança do parque. Quem conhece o local, sabe que é um local de muitos perigos. Existem vedações no decorrer de todo o lago que têm muitos anos e são frágeis, os locais por onde circulam milhares de crianças no decorrer da Terra dos Sonhos, não são caminhos seguros, há muita inclinação, o piso é de terra batida e coberto de areia que nas descidas acentuadas que tem, escorrega. Quem vive a Terra dos Sonhos, sabe que ela pode tornar-se num pesadelo mesmo sem ruir uma bancada. Felizmente nem no ano passado nem este ano, aconteceu nenhuma tragédia, apenas pequenas entorses devido ao piso irregular. O local é mágico mas para circularem grupos, com guias e adultos com os olhos postos nas crianças. Da forma como está funcionar em que cada um entra e faz o que quer, existem cruzamento de grupos de crianças em caminhos onde só deveria passar uma pessoa de cada vez. São muitos os perigos existentes neste sonho.
Penso que esta magia toda deve ser repensada com isto que aconteceu.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

A verdade nua e crua deste nosso Portugal

Sábado, 12.12.09

 

Esta noite sonhei com Mário Lino

 

Segunda-feira passada, a meio da tarde, faço a A-6, em direcção a Espanha e na companhia de uma amiga estrangeira; quarta-feira de manhã, refaço o mesmo percurso, em sentido inverso, rumo a Lisboa. Tanto para lá como para cá, é uma auto-estrada luxuosa e fantasma. Em contrapartida, numa breve incursão pela estrada nacional, entre Arraiolos e Borba, vamos encontrar um trânsito cerrado, composto esmagadoramente por camiões de mercadorias espanhóis. Vinda de um país onde as auto-estradas estão sempre cheias, ela está espantada com o que vê:

 
- É sempre assim, esta auto-estrada?
- Assim, como?
- Deserta, magnífica, sem trânsito?
- É, é sempre assim.
- Todos os dias?
- Todos, menos ao domingo, que sempre tem mais gente.
- Mas, se não há trânsito, porque a fizeram?
- Porque havia dinheiro para gastar dos Fundos Europeus, e porque diziam que o desenvolvimento era isto.
- E têm mais auto-estradas destas?
- Várias e ainda temos outras em construção: só de Lisboa para o Porto, vamos ficar com três. Entre S. Paulo e o Rio de Janeiro, por exemplo, não há nenhuma: só uns quilómetros à saída de S. Paulo e outros à chegada ao Rio. Nós vamos ter três entre o Porto e Lisboa: é a aposta no automóvel, na poupança de energia, nos acordos de Quioto, etc. - respondi, rindo-me.
- E, já agora, porque é que a auto-estrada está deserta e a estrada nacional está cheia de camiões?
- Porque assim não pagam portagem.
- E porque são quase todos espanhóis?
- Vêm trazer-nos comida.
- Mas vocês não têm agricultura?
- Não: a Europa paga-nos para não ter. E os nossos agricultores dizem que produzir não é rentável.
- Mas para os espanhóis é?
- Pelos vistos...
Ela ficou a pensar um pouco e voltou à carga:
- Mas porque não investem antes no comboio?
- Investimos, mas não resultou.
- Não resultou, como?
- Houve aí uns experts que gastaram uma fortuna a modernizar a linha Lisboa-Porto, com comboios pendulares e tudo, mas não resultou.
- Mas porquê?
- Olha, é assim: a maior parte do tempo, o comboio não 'pendula'; e, quando 'pendula', enjoa de morte. Não há sinal de telemóvel nem Internet, não há restaurante, há apenas um bar infecto e, de facto, o único sinal de 'modernidade' foi proibirem de fumar em qualquer espaço do comboio. Por isso, as pessoas preferem ir de carro e a companhia ferroviária do Estado perde centenas de milhões todos os anos.
- E gastaram nisso uma fortuna?
- Gastámos. E a única coisa que se conseguiu foi tirar 25 minutos às três horas e meia que demorava a viagem há cinquenta anos...
- Estás a brincar comigo!
- Não, estou a falar a sério!
- E o que fizeram a esses incompetentes?
- Nada. Ou melhor, agora vão dar-lhes uma nova oportunidade, que é encherem o país de TGV: Porto-Lisboa, Porto-Vigo, Madrid-Lisboa... e ainda há umas ameaças de fazerem outro no Algarve e outro no Centro.
- Mas que tamanho tem Portugal, de cima a baixo?
- Do ponto mais a norte ao ponto mais a sul, 561 km.
Ela ficou a olhar para mim, sem saber se era para acreditar ou não.
- Mas, ao menos, o TGV vai directo de Lisboa ao Porto?
- Não, pára em várias estações: de cima para baixo e se a memória não me falha, pára em Aveiro, para os compensar por não arrancarmos já com o TGV deles para Salamanca; depois, pára em Coimbra para não ofender o prof. Vital Moreira, que é muito importante lá; a seguir, pára numa aldeia chamada Ota, para os compensar por não terem feito lá o novo aeroporto de Lisboa; depois, pára em Alcochete, a sul de Lisboa, onde ficará o futuro aeroporto; e, finalmente, pára em Lisboa, em duas estações.
- Como: então o TGV vem do Norte, ultrapassa Lisboa pelo sul, e depois volta para trás e entra em Lisboa?
- Isso mesmo.
- E como entra em Lisboa?
- Por uma nova ponte que vão fazer.
- Uma ponte ferroviária?
- E rodoviária também: vai trazer mais uns vinte ou trinta mil carros todos os dias para Lisboa.
- Mas isso é o caos, Lisboa já está congestionada de carros!
- Pois é.
- E, então?
- Então, nada. São os especialistas que decidiram assim.
Ela ficou pensativa outra vez. Manifestamente, o assunto estava a fasciná-la.
- E, desculpa lá, esse TGV para Madrid vai ter passageiros? Se a auto-estrada está deserta...
- Não, não vai ter.
- Não vai? Então, vai ser uma ruína!
- Não, é preciso distinguir: para as empresas que o vão construir e para os bancos que o vão capitalizar, vai ser um negócio fantástico! A exploração é que vai ser uma ruína - aliás, já admitida pelo Governo - porque, de facto, nem os especialistas conseguem encontrar passageiros que cheguem para o justificar.
- E quem paga os prejuízos da exploração: as empresas construtoras?
- Naaaão! Quem paga são os contribuintes! Aqui a regra é essa!
- E vocês não despedem o Governo?
- Talvez, mas não serve de muito: quem assinou os acordos para o TGV com Espanha foi a oposição, quando era governo...
- Que país o vosso! Mas qual é o argumento dos governos para fazerem um TGV que já sabem que vai perder dinheiro?
- Dizem que não podemos ficar fora da Rede Europeia de Alta Velocidade.
- O que é isso? Ir em TGV de Lisboa a Helsínquia?
- A Helsínquia, não, porque os países escandinavos não têm TGV.
- Como? Então, os países mais evoluídos da Europa não têm TGV e vocês têm de ter?
- É, dizem que assim entramos mais depressa na modernidade.
Fizemos mais uns quilómetros de deserto rodoviário de luxo, até que ela pareceu lembrar-se de qualquer coisa que tinha ficado para trás:
- E esse novo aeroporto de que falaste, é o quê?
- O novo aeroporto internacional de Lisboa, do lado de lá do rio e a uns 50 quilómetros de Lisboa.
- Mas vocês vão fechar este aeroporto que é um luxo, quase no centro da cidade, e fazer um novo?
- É isso mesmo. Dizem que este está saturado.
- Não me pareceu nada...
- Porque não está: cada vez tem menos voos e só este ano a TAP vai cancelar cerca de 20.000. O que está a crescer são os voos das low-cost, que, aliás, estão a liquidar a TAP.
- Mas, então, porque não fazem como se faz em todo o lado, que é deixar as companhias de linha no aeroporto principal e chutar as low-cost para um pequeno aeroporto de periferia? Não têm nenhum disponível?
- Temos vários. Mas os especialistas dizem que o novo aeroporto vai ser um hub ibérico, fazendo a trasfega de todos os voos da América do Sul para a Europa: um sucesso garantido.
- E tu acreditas nisso?
- Eu acredito em tudo e não acredito em nada. Olha ali ao fundo: sabes o que é aquilo?
- Um lago enorme! Extraordinário!
- Não: é a barragem de Alqueva, a maior da Europa.
- Ena! Deve produzir energia para meio país!
- Praticamente zero.
- A sério? Mas, ao menos, não vos faltará água para beber!
- A água não é potável: já vem contaminada de Espanha.
- Já não sei se estás a gozar comigo ou não, mas, se não serve para beber, serve para regar - ou nem isso?
- Servir, serve, mas vai demorar vinte ou mais anos até instalarem o perímetro de rega, porque, como te disse, aqui acredita-se que a agricultura não tem futuro: antes, porque não havia água; agora, porque há água a mais.
- Estás a dizer-me que fizeram a maior barragem da Europa e não serve para nada?
- Vai servir para regar campos de golfe e urbanizações turísticas, que é o que nós fazemos mais e melhor.
Apesar do sol de frente, impiedoso, ela tirou os óculos escuros e virou-se para me olhar bem de frente:
- Desculpa lá a última pergunta: vocês são doidos ou são ricos?
- Antes, éramos só doidos e fizemos algumas coisas notáveis por esse mundo fora; depois, disseram-nos que afinal éramos ricos e desatámos a fazer todas as asneiras possíveis cá dentro; em breve, voltaremos a ser pobres e enlouqueceremos de vez.
Ela voltou a colocar os óculos de sol e a recostar-se para trás no assento. E suspirou:
- Bem, uma coisa posso dizer: há poucos países tão agradáveis para viajar como Portugal! Olha-me só para esta auto-estrada sem ninguém!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Assembleia de Freguesia

Sábado, 12.12.09

 

A Assembleia de Freguesia da passada quinta-feira, parece ter sido do desagrado de Rosa Familiar. Num artigo publicado na UPA, faz referência a uma Assembleia em que existe uma só voz, comenta de forma, no nosso parecer, construtiva, mas ao mesmo tempo defendendo o seu Movimento Independente UPA. 

O PS esteve do lado do Movimento independente votando contra em alguns dos pontos da ordem de trabalhos apresentados pelo executivo.

Quando diz que a Junta de Freguesia só tem uma voz e as outras são ornamento,será legítima esta sua observação? Talvez sim, talvez não.

Contactamos a mesma, que nos autorizou a publicação do seu artigo, assim como outros que existem na página da UPA, pelo que deixamos aqui um link para quem quiser ler na secção notícias.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


Comentários recentes

  • Anónimo

    Este paraquedista so falou da zona de lazer de Aze...

  • Anónimo

    APOIADO NO QUE AFIRMASMUITO OBRIGADO

  • Anónimo

    Acham que esse candidato deveria ter ganho? Para u...

  • Anónimo

    TU DEVES SER MAIS QUE PARVO, OU TENS UM RABO MUITO...

  • Anónimo

    comentário do dia das eleições, só falta o padre d...

  • Gertrudes Pinheiro

    Olá Kaskaedeskaska a Banana!Alguém me sabe dizer q...

  • Anónimo

    Os ratos fugiram. Vão ter que mentir e depois resp...

  • Anónimo

    vai haver festa

  • Anónimo

    Fiquei CHOCADA com a falta de informação deste com...

  • Anónimo

    Tudo seria fácil se o senhor Delfim Silva tivesse ...






subscrever feeds