Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




calendário

Outubro 2006

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031


Pesquisar

 


17 e 18 de Outubro - Haverá greve?

Sábado, 07.10.06

Mais de 20 mil professores desceram na passada quinta-feira a Avenida da Liberdade, em Lisboa, numa marcha de protesto contra a revisão do Estatuto da Carreira Docente (ECD) que terminou no Rossio.

Segundo os sindicatos que promoveram este protesto - o maior desde o 25 de Abril - o número de professores que participaram nesta marcha, chegou aos 25 mil.

«Está certamente a aproximar-se dos 25 mil. A meta dos 15 mil, que poucos acreditavam que iríamos alcançar, foi largamente ultrapassada. Num dia como o de hoje, feriado, a ministra tem de tirar conclusões e ilações e não pode ser cega ao descontentamento dos professores», afirmou à Lusa Mário Nogueira, dirigente da Federação Nacional dos Professores (Fenprof).

«Se a ministra não entender este sinal, deve dar o lugar a outro», acrescentou.

Este é o quarto grande protesto que a ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, enfrenta.

«Se o Ministério mantiver uma postura de intransigência e inflexibilidade, as 14 organizações não vão abrandar a sua luta para impedir que o Governo imponha aos professores unilateralmente o seu próprio estatuto», disse à Lusa Paulo Sucena, secretário-geral da Federação Nacional de Professores (Fenprof).

Ao longo da Avenida da Liberdade, onde os manifestantes se encontraram, podiam ler-se cartazes com frases como «professores em luta» e ouvir-se palavras de ordem como «categoria há só uma, professor e mais nenhuma» e «direitos são para manter, não são para abater».

A divisão da carreira em duas categorias, com quotas estabelecidas para subir de escalão e aceder à segunda e mais elevada, é uma das principais propostas do Ministério da Educação relativamente à qual os sindicatos exigem um recuo.

O exame de ingresso ou a avaliação de desempenho dependente de critérios como a apreciação dos pais e a taxa de insucesso e abandono escolar dos alunos são outras das questões que têm provocado divergências entre as organizações sindicais e a tutela.

A marcha seguiu até ao Rossio, onde se realizou um plenário com intervenções dos representantes das quatro mesas negociais que estão envolvidas no processo de revisão do ECD.

Os professores decidiram então marcar uma greve, para os dias 17 e 18 de Outubro, cujo pré- aviso será entregue sexta-feira, caso «o Ministério da Educação não dê provas inequívocas de estar disposto a abrir um processo negocial em que as posições sindicais sejam democraticamente tidas em conta».

«Ou o secretário de Estado [Jorge Pedreira] admite um verdadeiro e real processo de negociação, em que são tidas em conta as propostas dos sindicatos, ou realizamos uma greve a 17 e 18 de Outubro», anunciou Paulo Sucena, porta-voz da plataforma que integra 14 organizações sindicais. in Agência Lusa

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por sednaa às 10:06

5 comentários

De MC a 07.10.2006 às 15:47

o Problema da greve é qu eos putos ficam sem aulas e greve após greve os dias sem aulas acumulam-se e depois tem que andar feito loucos para dar o programa devido aos exames nacionais e provas globais. Mas que tem a sua razão isso tem.

De Anónimo a 08.10.2006 às 10:26

MC não havia necessidade de greve se o governo não estivesse a exagerar, penso que este ano não houve assim tantas greves, pelo contrário, houve o luto, que não fez faltas à escola. Agora que acaba por ser desmotivante é sem dúvida, um professor ser tratado desta forma, um professor desmotivado é bem pior que uma greve. Penso que a greve está a ser necessária, e aposto que nenhum professor a queria, pois se não sabes é um bom bocado do ordenado que é descontado por cada dia de greve. Não penses que fazer greve é gratuita, pelo contrário, fica cara a greve para o professor. Quem dera que o país estivesse bem, motivado, com emprego para todos e harmonia entre todos.

De Anónimo a 09.10.2006 às 10:26

Já repararam que os únicos que não reclamam, bem pelo contrário dizem que este (des)governo é uma categoria são os jornaleiros? Leram bem "jornaleiros", porque jornalista que se preze não se vende, informa e a grande maioria dos jornaleiros são uns reles parasitas amigos de mordomias e outras coisas que tais.

De Anónimo a 09.10.2006 às 20:02

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=61&id_news=245936
DEPOIS HÁ GREVES, é preciso mais calma minha gente...

De Anónimo a 10.10.2006 às 20:04

Amanhã há reunião do sindicato no liceu, esclareça-se se anda confuso, vá a essa reunião.

Comentar post



Comentários recentes

  • Anónimo

    Este paraquedista so falou da zona de lazer de Aze...

  • Anónimo

    APOIADO NO QUE AFIRMASMUITO OBRIGADO

  • Anónimo

    Acham que esse candidato deveria ter ganho? Para u...

  • Anónimo

    TU DEVES SER MAIS QUE PARVO, OU TENS UM RABO MUITO...

  • Anónimo

    comentário do dia das eleições, só falta o padre d...

  • Gertrudes Pinheiro

    Olá Kaskaedeskaska a Banana!Alguém me sabe dizer q...

  • Anónimo

    Os ratos fugiram. Vão ter que mentir e depois resp...

  • Anónimo

    vai haver festa

  • Anónimo

    Fiquei CHOCADA com a falta de informação deste com...

  • Anónimo

    Tudo seria fácil se o senhor Delfim Silva tivesse ...